TRANSIBERIANO DE MOSCOU A PEQUIM NO TREM PRIVADO “RÚSSIA IMPERIAL” 15D / 14N 

  • DIA 1 / MOSCOU (CHEGADA)

    • Chegada a Moscou. Assistência no aeroporto 
    • Translado ao hotel 
    • Alojamiento  
  • DIA 2 / MOSCOU

    • Café da manhã  
    • Visita panorâmica de Moscou 
    • Almoço 
    • Visita ao Kremlin e suas Catedrais 
    • Visita o metrô de Moscou 
    • Jantar 
    • Translado à estação ferroviária 
    • Noite a bordo 
  • DIA 3 / KAZAN - TRANSIBERIANO

    • Café da manhã  
    • Chegada a Kazan 
    • Visita panorâmica de Kazan 
    • Show folclórico tártara  
    • Visita ao Kremlin de Kazan 
    • Almoço 
    • Saída em direção a Yekaterinburg                                            
    • Jantar a bordo 
    • Noite a bordo 
  • DIA 4 / YEKATERINBURG - TRANSIBERIANO

    • Café da manhã  
    • Chegada a Yekaterinburg                                            
    • Visita panorâmica de Yekaterinburg                                            
    • Visita da Igreja do Sangue Derramado  
    • Almoço 
    • Visita do Monumento na fronteira Europa-Ásia 
    • Saída em direção a Novosibirsk 
    • Jantar a bordo 
    • Noite a bordo 
  • DIA 5 / NOVOSIBIRSK - TRANSIBERIANO

    • Café da manhã  
    • Chegada a Novosibirsk 
    • Visita panorâmica de Novosibirsk 
    • Almoço 
    • Saída em direção a Irkutsk 
    • Jantar a bordo 
    • Noite a bordo 
  • DIA 6 / TRANSIBERIANO

    • Café da manhã e almoço a bordo 
    • Jantar a bordo 
    • Noite a bordo 
  • DIA 7 / IRKUTSK

    • Café da manhã  
    • Chegada a Irkutsk 
    • Visita panorâmica de Irkutsk 
    • Visita do Museu dos Decembristas 
    • Almoço 
    • Tempo livre 
    • Visita do Museu Etnográfico de Taltsy 
    • Jantar 
    • Saída em direção a Baikal 
    • Noite a bordo 
  • DIA 8 / LAGO BAIKAL (LISTVIANKA) - TRANSIBERIANO

    • Café da manhã  
    • Chegada a Baikal 
    • Saída de ferry a Listvianka 
    • Visita do Eco-museu de Baikal 
    • Teleférico a o Monte Chersky 
    • Visita panorâmica de Listvianka 
    • Almoço 
    • Visita o mercado local 
    • Jantar de piquenique ao lado do Lago Baikal 
    • Saída em direção a Ulan-Ude 
    • Noite a bordo 
  • DIA 9 / ULAN-UDE - TRANSIBERIANO

    • Café da manhã  
    • Chegada a Ulan-Ude 
    • Visita panorâmica de Ulan-Ude 
    • Visita de uma família Buryat 
    • Translado à estação ferroviária 
    • Saída em direção a Ulan Bator 
    • Almoço e jantar a bordo 
    • Noite a bordo 
  • DIA 10 / TRANSIBERIANO – ULAN BATOR – TERELJ

    • Café da manhã  
    • Chegada a Ulan Bator 
    • Visita panorâmica de Ulan Bator 
    • Visita do Memorial Zaisán 
    • Saída em direção a Terelj 
    • Alojamento em yurts 
    • Almoço 
    • Visita da casa de uma família nômade 
    • Jantar e noite em yurts 
  • DIA 11 / TERELJ – ULAN BATOR – TRANSIBERIANO

    • Café da manhã  
    • Translado a Ulan Bator 
    • Visita do mosteiro de Gandán em Ulan Bator 
    • Visita do Museu Histórico Nacional 
    • Visita do Palácio Bogdo Jan 
    • Almoço baseado em um típico churrasco mongol 
    • Show folclórico 
    • Saída em direção a Sul 
    • Jantar e noite a bordo 
  • DIA 12 / TRANSIBERIANO - ERLIAN

    • Café da manhã  
    • Chegada a Erlian 
    • Visita panorâmica de Erlian 
    • Almoço 
    • Jantar 
    • Mudança de trem para chinês (com menor conforto*) 
    • Saída em direção a Pequim no trem chinês 
    • Noite a bordo 
  • DIA 13 / PEQUIM

    • Café da manhã  
    • Chegada a Pequim 
    • Visita panorâmica de Pequim 
    • Visita da Cidade Proibida 
    • Almoço 
    • Translado ao hotel 
    • Jantar chinês típico 
  • DIA 14 / PEQUIM

    • Café da manhã  
    • Visita da Grande Muralha da China 
    • Almoço 
    • Visita ao Palácio de Verão 
    • Jantar 
  • DIA 15 / PEQUIM (SAÍDA)

    • Café da manhã  
    • Traslado de saída para o aeroporto 

PROGRAMA

DIA 1 / MOSCOU (CHEGADA) 

Llegada a Moscou. 

Assistência no aeroporto. 

Translado ao hotel e alojamiento. 

DIA 2 / MOSCOU 

Café da manhã.  

Moscou. Vibrante, moderna e dinâmica até o extremo, a capital russa é um destino cultural de primeira classe. Esta metrópole acelerada hospeda o famoso Bolshoi e o grandioso Kremlin. Teatros, salas de concertos, lojas de grife, restaurantes da moda e clubes se alinham nas margens do Rio Moskva. 

Moscou é a maior cidade na Rússia e da Europa, com mais de 12 milhões de habitantes. É a capital da Rússia desde o século XV, exceto durante o período entre 1712 e 1918, quando a capital foi transferida para São Petersburgo. A cidade foi fundada no século XII, e o Kremlin, sua fortaleza principal, foi erguido em 1156. Moscou rapidamente ganhou importância e o Ducado de Moscou tornou-se a principal entidade política entre os principados da Rússia Central. Ivan III, grão-príncipe de Moscou, unificou todos os territórios sob seu cetro, libertou a região central da Rússia do jugo dos invasores mongóis e tártaros e foi proclamado Grão-Príncipe do Rus, com Moscou como capital. A cidade foi destruída várias vezes ao longo de sua história. Invasores mongóis, tártaros da Criméia, poloneses e suecos ocuparam a cidade. Napoleão passou seis semanas na cidade antes de iniciar sua catastrófica retirada e, durante a II Guerra Mundial, os exércitos alemães foram detidos apenas a 20 km de Moscou. Todos esses acontecimentos influenciaram e moldaram a paisagem urbana e a arquitetura da cidade, extremamente eclética: pode-se ver fortalezas medievais junto com arranha-céus stalinistas, belas igrejas barrocas e neoclássicas e elegantes edifícios Art-Nouveau. Tudo isso faz de Moscou um centro cultural de primeira orden: a cidade possui monumentos declarados “Patrimônio da Humanidade” pela UNESCO, museus extraordinariamente importantes e teatros entre os melhores do mundo. É uma cidade dinâmica, em pleno desenvolvimento que, há poucos anos, foi reaberta aos visitantes. 

Visita panorâmica de Moscou. Visita totalmente guiada em espanhol, proporcionando um contato perfeito com a cidade, o seu centro histórico e seus principais monumentos. Através de amplas avenidas como a famosa Tverskaya, chegaremos à “Colina dos Pardais“, coroada pelo famoso arranha-céu de inspiração stalinista onde encontra-se a Universidade Lomonosov. A partir deste ponto poderemos admirar uma vista esplêndida da cidade. Contemplaremos o exterior do famoso Mosteiro Novodiévichi e seu lago, que inspirou Tchaikovsky em “O Lago dos Cisnes” e veremos o Parque da Vitória, construído após a Segunda Guerra Mundial. Cruzaremos as avenidas que margeiam o rio Moskva com vista para a “Casa Branca“, sede do governo russo. Continuaremos o passeio pela rua Arbat, um lugar de encontro preferido dos moscovitas, uma movimentada rua de pedestres no coração da Cidade Velha. É também chamada de “Montmartre Russa”, pois está localizado em um bairro boêmio, onde muitos artistas viveram anteriormente. Ainda hoje é frequentada por muitos pintores e artistas de rua. Passaremos em frente à Catedral de São Salvador, o edificio “Duma” ou Parlamento Russo, o famoso Teatro Bolshoi e o imponente edifício “Lubyanka“, sede da antiga KGB. Continuaremos pelas ruas do antigo bairro “Kitai -Gorod” e suas pequenas igrejas. Finalmente, chegaremos à Praça Vermelha, declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, chamada assim por causa da cor dos tijolos dos edifícios que a cercam: o Museu de História, as muralhas do Kremlin e a Catedral de São Basíliocom suas famosas cúpulas multicoloridas em forma de bulbo. Na Praça Vermelha fica o Mausoléu de Lenin onde o exército russo desfila nas muitas festas que acontecem durante todo o ano. 

Almoço. 

Visita ao Kremlin e suas Catedrais. A palavra “Kremlin” significa fortaleza em russo. Na antiga Rússia, em todas as cidades de importância foi erguida uma fortaleza dentro da qual ficava o centro militar, civil e religioso, assim como as principais igrejas e catedrais. A de Moscou é a mais importante do país e foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Construída no século XII, sua forma atual foi concluída no século XV, e é um grande reflexo das diferentes fases da arte russa, concentrando uma monumental manifestação de arquitetura, pintura e artes decorativas e aplicadas. Os melhores artesãos e artistas trabalharam em igrejas, catedrais e palácios, deixando um legado de obras de valor inestimável. Suas inesquecíveis ruas e praças eram símbolos do poder e da glória Russa. Ainda hoje abrigam alguns dos principais órgãos de governo político e religioso: o Palácio Presidencial, vários edifícios administrativos e militares, como o Senado e o Arsenal, bem como numerosas igrejas e catedrais. Suas muralhas, com vista para o Rio Moskva e para a Praça Vermelha, são compostas de tijolos com mais de 8 kg de peso, medindo 5 e 19 metros de altura e um comprimento total de 2.235 metros. Visitaremos seu interior para admirar o “Sino Zarina”, o maior do mundo, fundado em 1733, e o “Canhão do Czar”, um dos maiores já construídos, forjado em 1586 por Andrei Chojov. Seu objetivo era defender a entrada pela Porta de São Salvador, mas até hoje nunca foi usado. Finalizaremos visitando a famosa “Praça das Catedrais”, uma jóia da arquitetura, ladeada pela Catedral de São Miguel Arcanjo, a Catedral da Ascensão e Anunciação.  

Visita à Catedral de São Salvador. Esta impressionante catedral foi a maior igreja ortodoxa já construída, erguida para comemorar a vitória russa contra as tropas de Napoleão. Foi concluída e consagrada em 1883, por ocasião da coroação do Czar Alexandre III. De estilo neo-bizantino em sua planta e neoclássico em sua construção, sua decoração incluiu representações em mármore Carrara de batalhas da luta contra as tropas de Napoleão. Foi dinamitada em 1931 por ordem de Stalin, para construir o futuro “Palácio dos Soviéticos”. O projeto foi rapidamente abandonado devido à infiltração de água do Rio Moskva, e em seu lugar foi construída a maior piscina pública do mundo. Após a queda do comunismo, a catedral foi reconstruída de acordo com o modelo original e foi reaberta em 2000, coincidindo com a canonização do último Czar e sua família, assassinados durante a Revolução Bolchevique. 

Visita ao Metrô de Moscou. Inaugurado em 15 de maio 1935 pelo governo soviético como um símbolo do progresso tecnológico e industrial do sistema político, o metrô de Moscou era conhecido como o “Palácio do Povo”. Na sua decoração participaram os artistas mais importantes da época, utilizando materiais ​​provenientes de todo o país, simbolizando a unidade dos povos soviéticos. Ainda hoje é o principal meio de transporte na cidade e um dos principais do mundo, com 200 km de linhas e 145 estações. Visitaremos as mais importantes, construídas com materiais luxuosos, com mais de 20 variedades de mármores, granitos, ônix e decoradas com pinturas, vitrais, murais, mosaicos e até mesmo esculturas. 

Jantar. 

Translado à estação ferroviária pegar o trem “Russia Imperial” saída em direção a Kazan. 

Noite a bordo. 

DIA 3 / KAZAN – TRANSIBERIANO 

Café da manhã.  

Chegada a Kazán. 

Kazan. Localizada às margens do majestoso rio Volga, cerca de 800 km a leste de Moscou, Kazan foi fundada em 1005 pelos búlgaros como uma fortaleza e um importante centro comercial. Após a invasão mongol, Kazan foi a capital de um principado dentro dos domínios da Horda de Ouro, e foi mais tarde a capital do Canato dos Tártaros. Kazan foi conquistada para a Rússia pelo Czar Ivan, “o Terrível”, em 1552. Hoje é uma das cidades mais prósperas da Rússia, capital da região do Tartaristão, e possui um alto grau de autonomia dentro da Federação Russa. Muitos habitantes locais falam sua própria língua, e mantém sua religião, cultura, tradições e costumes. Kazan é oficialmente chamada de “Terceira Capital da Rússia”, depois de Moscou e São Petersburgo. Em sua Universidade estudaram figuras históricas como Lenin e Tolstoi. Kazan é um ponto de encontro dos mundos oriental e ocidental, um cruzamento de culturas e tradições européias, russas e tártaras. A cidade é dividida em dois distritos principais: o russo e o tártaro, separados entre si pelo lago Qaban e o canal Bolaq. O contraste entre as cúpulas das igrejas ortodoxas russas e os minaretes das mesquitas tártaras dá à cidade um caráter e uma atmosfera únicos. Kazan é um importante centro cultural e educacional, com inúmeros teatros, museus, salas de concertos, festivais, eventos internacionais, bibliotecas e universidades. Kazan foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. 

Passeio panorâmico por Kazan. Durante este tour, decobriremos a história fascinante de Kazan. O centro histórico é constituído por antigos casarões, casas comerciais, edifícios culturais e industriais do século XIX e princípio do século XX. Passearemos pela Rua Bauman, a principal rua de pedestres da cidade, onde fica a Catedral de Pedro e Paulo, em estilo Barroco russo, que está em perfeita harmonia com o vizinho edifício clássico da Universidade Estadual de Kazan. A Rua Kremlyovskaya é o centro cultural da cidade, próximo ao Teatro Dramátivo Bolshoi, à Ópera de Kazan, a Biblioteca Nacional e à Câmara Municipal. Do outro lado do canal Bolaq e do lago Qaban, entraremos no antigo bairro tártaro da cidade, onde os tártaros se instalaram após a conquista de Kazan pelos russos. A mesquita Mardzhani, a mesquita Azimov e muitas outras elevam seus minaretes nesta área historicamente muçulmana. Na confluência do Rio Kazanka com o poderoso Volga, admiraremos o Monumento aos Soldados Caídos, o Palácio da Agricultura e o moderno edifício do Circo de Kazan. Terminaremos nosso tour no Kremlin de Kazan. 

Mostra folclórica tártara “Tugan Avalim”. 

Visita ao Kremlin de Kazan. O antigo Kremlin domina a cidade e impressiona pelo seu tamanho e poder. Na confluência dos rios Kazanka e Volga, o forte protobúlgaro de madeira do século XII, destruído pelos mongóis, foi reconstruído pelos tártaros como uma fortaleza que protegeria seu principado. Depois da conquista da cidade, Ivan IV, “o Terrível”, ordenou a reconstrução do Kremlin de Kazan, seguindo o mesmo modelo. Foi concluído entre 1556 e 1562 por mestres de Pskov. No seu interior amuralhado, encontram-se inúmeros prédios históricos: o mais antigo é a Catedral da Anunciação (1561-1562). Como muitos outros edifícios da época, ela foi construída na tradicional pedra de arenito local, ao invés de tijolo, material utilizado na maior parte do resto da Rússia. Próximo à ela encontra-se a Casa do Bispo (1829). Outro marco importante é a mesquita Qol-Sharif, recentemente reconstruída dentro do Kremlin. O Palácio dos Governadores (1845-1848), construído no local onde ficava o palácio de Khan, é agora o Palácio Presidencial. Perto da Torre Spasskaya encontraremos o Mosteiro do Salvador, de 1557. Foi o principal foco missionário cristão nestas terras predominantemente muçulmanas. Entre numerosos edifícios militares, destacam-se o Corpo da Guarda, a Escola de Cadetes, a Escola Equestre e a Fundição de Canhões de Artilharia. Entre as imponentes muralhas e torres de suas fortificações, eleva-se a estrutura mais alta do Kremlin de Kazan: a Torre Inclinada Soyembika, chamada assim em honra à última Czarina tártara. O Kremlin de Kazan foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. 

Almoço e aula de culinária tártara. 

Translado à estação ferroviária e saída em direção a Yekaterinburg. 

Jantar e noite a bordo. 

DIA 4 / YEKATERINBURG – TRANSIBERIANO 

Café da manhã.  

Chegada Yekaterinburg 

YekaterinburgYekaterinburg é a quarta cidade da Rússia. Está localizado a leste dos Urais, na fronteira da Sibéria e na fronteira entre a Europa e a Ásia. A cidade foi fundada em 1723, 20 anos após St. Petersburg por Basil Tatishchev, sob as ordens de Pedro, o Grande e seu nome faz alusão ao St. Catherine, em homenagem à esposa do czar depois czarina Catherine I. A cidade cresceu rapidamente como o centro da região mineira do Ural e sua indústria metalúrgica. Quando o Grande estrada siberiana foi construído a partir de 1761 para o transporte de produtos chineses para a Europa através da Rússia, Yekaterinburg se tornou um importante centro de trânsito de minério Sibéria para a Rússia européia. Foi então quando a cidade recebeu o apelido de “Janela para a Ásia”. Após a Revolução Russa, o último czar e sua família foram presos e levados para lugares diferentes, terminando na Casa Ipatiev em Yekaterinburg. Quando as tropas brancas leais ao czar se aproximava da cidade e estavam prestes a libertar os prisioneiros, os bolcheviques assassinaram o czar e sua família, seguindo as ordens de Lenin. A cena do crime foi demolida em 1977 pelo então governador da cidade, Boris Yeltsin, então presidente da Rússia. Hoje Yekaterinburg é o maior centro industrial e cultural dos Urais, uma cidade próspera e dinâmica. 

Visita panorâmica de Yekaterinburg. Esta visita panorâmica nos apresentará o centro histórico, que tem vários edifícios da arquitetura russa típica do século XIX. Vamos ver o Monumento aos Fundadores da Cidade, Tátishchev e De Genin. Entre as diferentes catedrais e igrejas que podemos observar, destaca-se a Capela de Santa Catalina, padroeira da cidade. Também veremos o antigo Escritório de Minas, o primeiro edifício de pedra em Yekaterinburg, hoje o Conservatório Estadual; a ópera mais antiga da Rússia, em funcionamento desde 1912; e muitas casas mercantis, palácios e mansões do século XIX localizadas ao lado do lago que margeia a cidade. Descobriremos a Plaza 1905 e Plaza de Octubre, onde estão localizados os edifícios do Parlamento da Cidade e do Governo Regional. 

Visita da Igreja do Sangue Derramado em Yekaterinburg. A Igreja do Sangue Derramado foi construída entre 2000 e 2003 para comemorar o assassinato neste mesmo lugar de Nicolau II, o último czar, e sua família e servos mais próximos. Após sua abdicação, o czar e sua família foram feitos prisioneiros. Depois de serem mantidos em cativeiro no palácio de Alexandre em Pushkin e depois na cidade siberiana de Tobolsk, todo o grupo de prisioneiros foi transferido para a Mansão Ipatiev, em Yekaterinburg, onde permaneceram por vários meses sob severa vigilância. Durante a guerra civil russa, e antes da proximidade das tropas leais ao czar, Lenin ordenou o assassinato deste, bem como sua família, médico, camareira, garçom e mordomo. Onze pessoas no total foram mortas à meia-noite. As tropas leais libertaram a cidade apenas uma semana depois, mas já era tarde demais. A casa foi demolida em 1977 pelo então governador da cidade, Boris Yeltsin, futuro presidente da Rússia. Após a queda do regime comunista, esta igreja ortodoxa foi construída na cena do crime. 

Almoço. 

Visita ao Monumento na fronteira entre a Europa e a Ásia. Atravessaremos a fronteira entre a Europa e a Ásia em Yekaterinburgo. A fronteira está situada um pouco a oeste da cidade, onde se encontra o monumento. Celebraremos a passagem do continente com uma taça de vinho espumante russo. 

Saída em direção a Novosibirsk.  

Jantar e noite a bordo.  

DIA 5 / NOVOSIBIRSK – TRANSIBERIANO 

Café da manhã.  

Chegada a Novosibirsk. 

Novosibirsk. Terceira cidade da Rússia em população e a mais importante da Sibéria, Novosibirsk se estende ao longo do rio Obi, o sétimo maior rio do mundo. A cidade foi fundada em 1893 como um pequeno povoado para abrigar os trabalhadores que construíram a ponte da ferrovia Transiberiana, que atravessa o rio Obi. Foi chamada primeiramente de Novonikolayevsk, para homenagear o então czar Nicolau II. A cidade cresceu muito rapidamente no início do século XX, graças à sua posição estratégica no cruzamento da estrada de ferro Transiberiana com a Sibéria-Turquestão, que liga a Rússia à Ásia Central e o mar Cáspio. Após a Revolução Russa, seu nome foi mudado para o atual em 1926. Hoje, tem quase um milhão e meio de habitantes e possui uma das melhores universidades da Rússia. 

Passeio panorâmico por Novosibirsk. Visitaremos o Porto de Oktyabrskaya, a praça onde a fundação da cidade ocorreu; e Krasny Prospekt, a avenida principal. Na Praça Lenin fica o Teatro de Ópera e Balé, o maior da Rússia. Inaugurado em 1944, sua cúpula de prata é representante da arquitetura monumental soviética do século XX. A “Casa dos 100 apartamentos“, projetada pelo famoso arquiteto Kryachkov, venceu o Grande Prêmio e a Medalha de Ouro na Exposição Internacional de Arte e Tecnologia de Paris em 1937. O Monumento à Glória, dedicado aos soldados da Segunda Guerra Mundial, é um excelente exemplo da arquitetura de inspiração soviética. Também admiraremos o exterior da capela de São Nicolau, a Catedral da Ascensão, e a Catedral Alexander Nevsky, o primeiro edifício de pedra construído na cidade. Poderemos descobrir duas impressionantes obras da engenharia: a ponte do Metro, sobre o rio Obi e a Represa de Novosibirsk, perto da cidade, formando o chamado “Mar da Sibéria”. Muito perto encontraremos o Museu Ferroviário, onde poderemos apreciar várias locomotivas e vagões de diferentes épocas, e descobrir a evolução histórica do transporte na Transiberiana. Terminaremos nossa visita em Akademgorodok, a cidade universitária, centro de pesquisa e desenvolvimento na Sibéria. 

Almoço. 

Saída em direção a Irkutsk.  

Jantar e Noite a bordo. 

 

DIA 6 / TRANSIBERIANO 

Café da manhã e almoço a bordo. 

O trem continua a sua rota através da Sibéria para o leste, em direção à Irkutsk, seguindo os passos de Michel Strogoff, famoso personagem de Júlio Verne. Na cidade de Krasnoyarsk, cruzaremos o majestoso Yenisey, o segundo rio da Rússia. 

Jantar e noite a bordo. 

DIA 7 / IRKUTSK 

Café da manhã. 

Chegada a Irkutsk. 

Irkutsk. Irkutsk é a cidade mais importante da Sibéria Oriental. Foi fundada em 1651 como um ponto de extração e comércio de ouro, e como um centro de cobrança de taxas na forma de peles para os Buryats que vivem na área. A cidade está situada às margens do rio Angara, que se origina 60 km ao leste, numa das maravilhas do mundo: o grande lago Baikal. Irkutsk foi o destino de milhares de exilados políticos no tempo dos czares. Estes deportados, geralmente membros da intelligentsia, possuíam um alto nível cultural e desfrutaram de uma educação de qualidade, dando uma grande contribuição para a vida pública e desenvolvimento da cidade de Irkutsk. A origem da população da cidade de Irkutsk é uma mistura eclética, como na maior parte da Sibéria, composta por cossacos, pioneiros, militares, caçadores, comerciantes ricos, missionários, prisioneiros, funcionários, exilados e cientistas. Hoje Irkutsk é um importante centro cultural, comercial e científico; uma cidade moderna e bonita, com belas avenidas sobre o Angara, teatros, museus e uma arquitetura tipicamente russa. 

Passeio panorâmico por Irkutsk. Irkutsk é considerada, com justiça, uma cidade-museu, com mais de cem monumentos importantes. Em suas ruas mais importantes: Rua Karl Marx e Rua Lenin, a arquitetura em madeira original, que foi queimada num incêndio de grandes proporções em 1879, foi substituída por elegantes casas de tijolo e pedra, que foram inspiradas nas majestosas fachadas de São Petersburgo e Moscou. Muitos teatros estão na área, como o Teatro Dramático, ou o Teatro Musical. A Igreja do Salvador é o edifício de tijolo mais antigo da cidade; foi construída no século XVII. A Catedral Polonesa é o único edifício gótico da Sibéria. Esta igreja católica foi construída para a minoria polaca, constituída de inúmeros exilados políticos e seus descendentes. Outros edifícios religiosos de interesse são a Catedral da Epifânia e a Catedral da Santa Cruz. Passaremos pela Praça Kirov, onde o cossaco Pojabov construiu um forte pela primeira vez em 1661, e, em seguida, passearemos pelo calçadão ao longo do rio Angara: o Boulevard Gagarin é o melhor lugar para caminhar, com os seus muitos cafés e terraços ao ar livre. Em seguida, visitaremos a animada Rua Uritskogo e o vizinho Mercado Central, também chamado aqui de bazar, com balcões cheios de peixes frescos das águas limpas do Baikal. Após a turbulência do mercado, começa um dos bairros mais tranquilos da cidade: Irkutsk é famoso por sua arquitetura russa e, particularmente, por suas tradicionais casas russas de madeira, com janelas, portas e beirais delicadamente esculpidos e pintados, que se encontram por toda a cidade, mas especialmente nesta área. Passaremos um tempo no bairro de Irkutskaya Sloboda, uma área recentemente renovada, que inclui dezenas de jóias arquitetônicas em madeira. 

Visita ao Museu dos Decembristas. Em 01 de dezembro de 1925 morreu o czar Alexandre I. Durante o seu reinado, Napoleão e as idéias liberais da Revolução Francesa foram derrotados militarmente, mas o sentimento liberal havia penetrado na Rússia, onde muitas pessoas de diferentes classes sociais começaram a exigir a reforma política. Um grupo de descontentes começou uma insurreição armada em São Petersburgo, então capital da Rússia, contra a coroação de Nicolau I, sucessor de Alexandre. Criticaram seu conservadorismo, recusaram jurar lealdade a ele e apelaram pela abolição da escravatura. A revolta foi reprimida com grande violência, e muitos dos participantes foram condenados a longas penas de exílio na Sibéria, junto com suas esposas. Como eram provenientes de classes cultas da população, contribuíram muito para o desenvolvimento de Irkutsk e pela difusão de idéias liberais e reformistas na Sibéria. O museu abriga as mansões de dois dos Decembristas: o príncipe Volkonsky e o Trubetskoy, e as coleções incluem objetos pessoais, documentos e mobiliário. 

Almoço 

Tempo livre em “Irkutskaya Sloboda”. 

Visita ao museu etnográfico de Taltsy. Localizado entre Irkutsk e o Lago Baikal, a aldeia de Taltsy está a 47 km ao sudeste de Irkutsk. O museu de arquitetura em madeira ao ar livre reuniu importantes edifícios de arquitetura religiosa, civil e militar da região, do século XVII ao século XX. Entre os mais notáveis, encontram-se a Torre Spaskaya de Ostrog (forte) de Ilimsk (1667) e a Capela de Nossa Senhora de Kazan (1669), que ainda funciona como uma igreja. Veremos também inúmeras coleções etnográficas, exemplos únicos da cultura dos povos russo, buriato, evenko e tofalar. 

Jantar. 

Partida para o lago Baikal. 

Noite a bordo. 

DIA 8 / LAGO BAIKAL (LISTVIANKA) – TRANSIBERIANO 

Café da manhã.  

Chegada a Baikal. 

O lago Baikal. O Lago Baikal é uma verdadeira jóia da natureza, um tesouro escondido nos confins da taiga siberiana. O Baikal quebra todos os recordes: é o lago mais profundo do mundo, com 1.600 m, mas também é o mais limpo, o mais antigo e com mais água: 20% da água doce em estado líquido do mundo encontra-se nesse lago. É um lugar mágico, com paisagens inesquecíveis, uma natureza incomparável e lendas extraordinárias. Suas margens são habitadas por povos Buryatos, que adoram o lago. Lugares sagrados xamanísticos, templos budistas ou datsan e mosteiros ortodoxos se sucedem em suas belas margens. O ecossistema do lago Baikal é um dos mais ricos e mais variados do mundo. Devido ao seu isolamento, a maioria da sua fauna e flora é endêmica. As espécies mais notáveis ​​são a Foca do Baikal, ou Nerpa, o pequeno salmão local – Omul – e o Esturjão do Baikal. As florestas circundantes são habitadas por ursos, renas e linces, entre outras espécies. 

Partida em ferry para Listvianka. 

Visita ao Ecomuseu de Baikal. Aqui aprenderemos muito sobre as surpreendentes flora e fauna que habitam o ecossistema único do Lago Baikal. Nos aquários do museu, poderemos ver vários de seus peixes endêmicos e até mesmo admirar uma Nerpa, a Foca do Baikal, uma das poucas no mundo que vivem em água doce. Um submarino virtual nos levará às profundezas do lago. 

Teleférico para o Monte Chersky. Tomaremos um teleférico até o topo do Monte Chersky (755 m), onde um belo panorama se abrirá ao nossos olhos para os picos das montanhas Jamar-Daban. Desse ponto, poderemos contemplar a vila de Porto Baikal e lugares como a Rocha Shaman, o nascimento do Angara, o Observatório Astrofísico e a infinita taiga siberiana. 

Passeio panorâmico por Listvyanka. Listvyanka é uma pequena cidade com cerca de 2000 habitantes, situada na costa sudoeste do Lago Baikal, a 65 km de Irkutsk, perto do lugar de origem do rio Angara. Seu nome “Listvyanka” vem das muitas árvores (“listvennitsa” em russo), que estão na área. Listvyanka é uma das mais antigas povoações às margens do Lago Baikal e foi fundada no início do século XVIII. A população vivia do comércio, da pesca, construção naval e de sua posição como base para expedições científicas. Hoje Listvyanka vive principalmente do turismo: durante os meses de verão, Listvyanka é o principal ponto de partida dos barcos e expedições turísticas no Baikal. Durante nossa pequena caminhada, visitaremos a igreja de madeira de São Nicolau e o pequeno mercado, onde as Babushkas vendem peixes defumados do Baikal e alguns produtos de artesanato local. Do outro lado do rio Angara, que nasce no Lago Baikal em Listvyanka e deságua no Yenisei, poderemos admirar o Cabo Tolsty e seu Farol. 

Almoço. 

Visita o mercado local. 

Jantar a forma de um piquenique pelo Lago Baikal. 

Translado à estação ferroviária saída em direção a Ulan-Ude 

Noite a bordo. 

DIA 9 / ULAN-UDE – TRANSIBERIANO 

Café da manhã.  

Chegada a Ulan-Ude. 

Visita de Ulan-UdeUlan-Ude é a capital da Buriátia, o principal centro do budismo na Rússia. Era uma aldeia chamada Udínskoye, por sua localização próxima às águas do rio Uda. A partir de 1735, este assentamento adquiriu importância e passou a ser chamado Udinsk, recebendo o título de “cidade”. A [de 1934, durante o período stalinista, seu nome foi alterado de volta para o atual, que significa “Uda Rojo” em Buryat, refletindo assim a ideologia política da época. Até 1991, Ulan-Ude era uma cidade fechada para estrangeiros. Hoje temos a possibilidade de admirar esta cidade eclética, que tem um aspecto charmoso e um pouco caótico: os edifícios da era comunista e o grande busto de Lênin na praça principal se alternam com a arquitetura típica do século XIX e a construções de madeira típicas da Sibéria, tudo no meio de templos budistas de clara inspiração oriental. 

Visita de uma família Buryat. Teremos a oportunidade de visitar uma família Buryat em um dos seus “yurts” tradicionais. Os Buriatos de boas-vindas explicarão como cozinhar seu tradicional prato “pozy”, seus passatempos favoritos, como jogos de dados, e suas atividades tradicionais, como tiro com arco ou a montagem e desmontagem de uma “yurt”. Nós também veremos seus trajes típicos e aprenderemos sobre suas tradições. 

Translado à estação ferroviária saída em direção a Mongólia. 

Almoço y jantar no trem. 

Noite a bordo. 

DIA 10 / TRANSIBERIANO – ULAN BATOR – PARQUE NACIONAL TERELJ 

Café da manhã.  

Chegada a Ulan Bator. 

Ulan Bator. A capital da Mongólia, fundada em 1639, é a maior e quase a única cidade do país: 40% das pessoas na Mongólia vivem aqui. O nome “Ulan Bator” – Ulaanbaatar em mongol, significa “Herói Vermelho”. A cidade foi criada e construída como um mosteiro budista. A arquitetura de Ulan Bator é uma mistura impressionante dos tradicionais yurts, mosteiros budistas e fortalezas, com edifícios modernos remanescentes do período stalinista. A cidade oferece muitos museus interessantes e um vibrante movimento nas ruas, com muitos restaurantes, cafés e modernas boutiques, que se alternam com os mercados típicos e os tradicionais bazares.  A cidade é cercada por uma paisagens de grande beleza natural. 

Passeio panorâmico por Ulan Bator. Passeio panorâmico pela cidade, um grande contraste entre a arquitetura stalinista e barracas típicas ou “Yurts” locais, onde ainda vivem muitas pessoas na capital. Passeio pela famosa Praça Sukhbaatar, chamada assim em homenagem ao herói da revolução, que declarou a independência da Mongólia e a libertou da ocupação chinesa neste mesmo lugar em 1921. Nesta mesma praça encontra-se o monumento mais famoso da Mongólia: o Sino do Mundo e, ao lado, o Mausoléu de Sukhbaatar. Um dos mais belos pontos turísticos de Ulan Bator é o Palácio de Inverno, que foi construído no início do século XX pelo último imperador. Visitaremos os monumentos religiosos mais interessantes da cidade, muitos dos quais foram construídos com a típica arquitetura local à base de madeira: o mosteiro Choijin-Lamyn-Sum, o templo Zhanray Sing e finalizaremos a nossa visita no mais famoso deles: o Mosteiro Gandan. 

Visita ao Memorial de Zaisan. Situado na colina Zaisan-Tolgoyb. Neste ponto, poderemos desfrutar de uma vista magnífica sobre a cidade de Ulan Bator e do vale do Rio Tola. O conjunto arquitetônico do memorial foi construído em 1979, para marcar o 40º aniversário das batalhas da Jalkin-Gol, entre os invasores japoneses e mongóis, auxiliados por tropas soviéticas. No topo do morro há uma coluna com símbolos tradicionais e comunistas, numa curiosa mistura. No centro, poderemos ver uma estátua de um soldado soviético e palavras de gratidão à URSS por sua ajuda à Mongólia na luta por sua independência. 

Saída em direção a Terelj. 

Terelj. Terelj é um dos mais belos parques nacionais da Mongólia. Localizado cerca de 60 km do Ulan Bator, tem uma paisagem característica em que as estepes centrais dão lugar a florestas e límpidos rios do norte, em meio a grandes rochedos graníticos de grande beleza. Neste paraíso de paz poderemos sentir a natureza intocada da Mongólia, através de densas florestas, amplos prados e cristalinos rios de montanha. 

Chegada ao acampamento, localizado no parque nacional, onde teremos a oportunidade de ver em primeira mão a verdadeira vida de nômades mongóis, já que dormiremos como eles dormem em seus típicos “yurts”. 

Almoço. 

Caminhe até o topo da colina para observar a vista panorâmica do parque nacional. 

Visita à casa de uma família nômade. Visita à casa de uma família nômade para conhecer seu cotidiano: preparação dos produtos lácteos, construção e montagem de uma tenda (Yurt), criação de animais como os famosos Yaks. Possibilidade de um passeio a cavalo, principal meio de transporte no país, pelo qual os ancestrais dos mongóis percorriam as estepes da Ásia Central em diferentes guerras que os levaram até a Europa. 

Jantar e alojamiento em yurts. 

DIA 11 / PARQUE NACIONAL TERELJ – ULAN BATOR – TRANSIBERIANO 

Café da manhã.  

Translado a Ulan Bator. 

Visita ao mosteiro Gandan em Ulan Bator. O mosteiro Gandan está situado no coração de Ulan Bator. Ao seu redor poderemos admirar a arquitetura típica desta antiga cidade: ruas estreitas, ladeadas lojas antigas, alternando-se com os tradicionais yurts. O mosteiro e os templos budistas tibetanos que estão situados no seu interior, destacam-se pela sua decoração à base de ouro e pedras preciosas. O mosteiro foi fundado em 1835. No final do século XIX já ocupava um vasto território e abrigava 14 mil monges. Em 1938 foi fechado pelo governo comunista da Mongólia e reaberto em 1949. Admiraremos as brilhantes pinturas de seus muros, seus telhados policromados, as estátuas de guardas que emolduram sua entrada – virada para o sul, como manda a tradição. No pátio principal encontraremos uma estátua de Buda e um vaso de pedra. 

Visita ao Museu de História Nacional. Neste interessante museu poderemos admirar a história deste país milenar, desde o Paleolítico até o presente. Nas suas salas poderemos apreciar numerosas peças encontradas em sítios arqueológicos por todo o país: moedas, armas, trajes tradicionais, artigos religiosos, artigos para uso doméstico e estatuetas em materiais como o bronze. As fotografias e diagramas nos ajudarão a entender os diferentes períodos da história do país: a vida das tribos nômades da Ásia Central, o período do apogeu do império mongol nos séculos XIII e XIV, a vida e a cultura tradicional da região, os trajes e jóias típicos, bem como a influência do socialismo na Mongólia desde 1921, um período que se seguiu à chegada da democracia em 1990. 

Visita ao Palácio de Bogdo Khan, onde viveu Bogdo Khan VIII, o último Khan da Mongólia. O complexo inclui os palácios de verão e de inverno. O Palácio de Verão foi construído em estilo tradicional chinês entre os anos de 1893 e 1903. A residência de inverno foi construída em 1912, seguindo projetos de arquitetos russos. Dentro do complexo há exposições permanentes, que incluem retratos de todos os Khans da Mongólia entre os séculos XVII e XX, esculturas e pinturas feitas pelo próprio Bogdo Khan VIII, pinturas budistas em telas, estátuas, instrumentos musicais e objetos religiosos usados ​​por Khan e sua corte. 

Almoço baseado em um típico churrasco mongol. 

Assistiremos a um show folclórico tártara que nos permitirá conhecer a música, as danças e as tradições desta cidade milenar. 

Saída na direção a Pequim.  

Juntar e noite a bordo.  

DIA 12 / TRANSIBERIANO 

Café da manhã e almoço no trem. 

Saída na direção sul, em direção à milenar China, cruzando as estepes do sul da Mongólia, onde está o deserto de Gobi. 

Juntar e noite a bordo.  

DIA 13 PEQUIM 

Café da manhã. 

Chegada em Pequim, o objetivo da Ferrovia Transiberiana, a maior ferrovia do mundo, depois de cruzar dois continentes. 

Pequim. Vibrante, sempre acordada, amada e odiada em igual medida pelos seus habitantes, esta metrópole surgiu recentemente como uma das cidades mais importantes do mundo. Pequim é a capital e o centro político, cultural, educacional e econômico da China. Com mais de 20 milhões de habitantes, é a segunda cidade mais populosa do mundo. Sua longa história se estende por mais de 3000 anos, nos quais foi destruída e reconstruída inúmeras vezes, e inclusive mudou de nome uma dúzia de vezes. Seu nome atual significa “Capital do Norte”. Pequim está mudando numa velocidade vertiginosa, impulsionada pelo sucesso da economia chinesa e apoiada pelo brilho dos Jogos Olímpicos de 2008, que a impulsionaram para o topo do cenário internacional: em poucos anos, milhões de bicicletas desapareceram para abrir caminho aos modermos carros, num labirinto de novas estradas. Arranha-céus de alta tecnologia têm sido levantados junto às casas tradicionais… Entre todas essas mudanças, Pequim luta por sua alma, preservando orgulhosamente suas antigas tradições e seus esplêndidos monumentos. 

Passeio panorâmico por Pequim. Durante este tour, vamos explorar os edifícios mais representativos da arquitetura da cidade e a milenar história da China. Descubriremos não só magníficos palácios, mas também o autêntico povo de Pequim. Passearemos pela Praça da Paz Celestial, a maior do mundo, que pode receber mais de um milhão de pessoas. Nela encontraremos o Monumento ao Herói do Povo. Perto está o Museu Nacional da China. Veremos também o Memorial de Mao Zedong e o Grande Salão do Povo. A Porta de Tiananmen (Portão da Paz Celestial) é a entrada para a Cidade Proibida, a residência dos imperadores. 

Visita à Cidade Proibida, o mais antigo complexo arquitetônico da China. Foi a residência dos imperadores chineses durante 500 anos, entre os séculos XV e XX. Localizada no centro de Pequim e decorada de acordo com os caprichos e fantasias dos 24 imperadores das dinastias Ming e Qing, é considerada como o maior complexo palaciano do mundo. É composta por 800 edifícios e 9.999 quartos, ocupando um total de 72 hectares. A Cidade Proibida é cercada por um muro de 10 m de altura e um fosso. Sua construção começou em 1406 e durou 15 anos. Segundo a lenda, foram usados ​​em sua construção mais de um milhão de trabalhadores e cem milhões de tijolos, duzentos milhões de telhas e uma quantidade inimaginável de mármore. O nome “Cidade Proibida” vem do fato de que somente o imperador e sua família poderiam viver aqui; cortesãos, oficiais, funcionários, etc, deviam residir fora destas paredes e ninguém podia entrar ou sair do local sem a permissão do imperador. O complexo é dividido entre o Pátio Interno (ou Palácio Traseiro) e o Pátio Externo (ou Palácio frontal). Nas salas do Pátio Externo o imperador realizava suas funções políticas. O Pátio Interno era sua residência, e lá ficavam os Jardins Imperiais. A Cidade Proibida, das estruturas de seu tipo, é considerada a maior e mais bem preservada no mundo. Foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. 

Almoço. 

Translado a hotel. 

Jantar típico chinês, onde poderemos saborear um pato assado, o prato mais famoso da culinária nacional.  

DIA 14 PEQUIM 

Café da manhã. 

Visita à Grande Muralha da China. Uma das 7 maravilhas do mundo, esta impressionante construção foi edificada pelos imperadores chineses para proteger sua fronteira norte dos ataques dos Mongóis. A Grande Muralha da China, com seus 8.851,8 km de comprimento, é um símbolo da antiga civilização chinesa e é a fortaleza mais famosa do mundo. Sua construção durou milênios, porque aconteceu entre os séculos VII AC e XVII DC. A maior parte da muralha que pode ser vista hoje em dia, foi construída durante a dinastia Ming (1368-1644). A Grande Muralha da China é um orgulho nacional e um símbolo da grandeza do país, que gasta uma enorme soma a cada ano para preservar este tesouro arquitetônico para a apreciação e admiração das gerações futuras. A Grande Muralha da China recebe mais de 40 milhões de visitantes por ano e é, portanto, um dos lugares mais visitados do mundo. Foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. 

Almoço. 

Visita ao Palácio de Verão. Decorado com magníficos jardins, o Palácio era a residência de verão dos habitantes da Cidade Proibida, a família imperial. Em 1570 o imperador Qianlong empregou 15 anos e 140 mil quilos de prata na construção do jardim das Ondas Claras. O jardim foi destruído pela guerra em 1860. Em 1866, o governo Qing começou a restaurá-lo e gastou nele a totalidade de uma grande soma que havia sido dedicada ao desenvolvimento e construção da nova Marinha de Guerra chinesa. Dois anos mais tarde, o jardim foi renomeado como Jardim da Paz e da Harmonia, mas é conhecido mesmo como Palácio de Verão. Hoje é um grande parque com edifícios residenciais, templos e pavilhões estendendo-se até as margens de um belo lago artificial. Existem mais de 3000 edifícios espalhados no local. O Palácio de Verão é uma incrível combinação de história e natureza, um dos melhores exemplos de arte oriental de arquitetura paisagística. Seu tamanho, seu esplendor arquitetônico, seu design cuidadoso e sua beleza natural são incomparáveis ​​no mundo. Ele está incluído na lista de Patrimônio da Humanidade da UNESCO. 

Jantar. 

DIA 15 PEQUIM (SAÍDA) 

Café da manhã. 

Traslado de saída para o aeroporto. 

CABINES

CABINA DUPLA “FIRST CLASS”: 

Na categoria ” First Class ” existem 8 cabines por carro, cada uma para 2 pessoas. Há 2 beliches baixos e uma pequena mesa sob a janela, entre os dois beliches, TV LCD. No carro há um lavatório e chuveiro, um para o carro inteiro, ar condicionado comum para o carro inteiro.

CABINA DUPLA “FIRST CLASS PLUS”: 

Vagões construídos recentemente, de estilo clássico, mas com confortos modernos. 8 cabines por carro, há 1 baixo berço e 1 alto berço. É usado para 2 pessoas ou pode ser usado como duplo para uso individual. 

Na cabine há uma poltrona e mesa, TV LCD, armário para roupas, pia. Há um chuveiro para cada 2 cabines. No carro há 2 banheiros comuns e ar condicionado comum. 

CABINA DUPLA BUSINESS CLASS”: 

6 cabines por carro. Cada um tem dois beliches. Há 1 baixo berço (sofá que se transforma em uma cama de 120 cm de largura) e 1 berço alto. Em cada cabine há um lavatório, chuveiro e toaletes privativos, uma pequena mesa com poltrona, TV LCD, guarda-roupa para roupas e bagagem, ar condicionado individual. 

 

CABINA DUPLA “VIP”: 

5 cabines por carro. Cada um tem dois belichesHá 1 baixo berço e 1 alto berço. Em cada cabine há um lavatório, chuveiro e WC privativo, mesa com poltrona, TV LCD, armário para roupas e bagagem, ar condicionado individual. 

HOTÉIS

MOSCOU: 

5* Sup: Baltschug Kempinski (quarto standard), ou similar 

PEQUIM: 

5* Sup: Regent Pequim (quarto standard), ou similar