Visita ao Bairro “Outubro Vermelho”. A lendária fábrica de chocolates Outubro Vermelho foi construída em 1862, às margens do rio Moskva. Foi fundada por Von Einem, um empresário alemão e desenvolveu-se rapidamente. O famoso edifício de tijolo vermelho em frente à catedral de São Salvador foi ampliado e construidos alojamentos para os trabalhadores e edifícios administrativos. Logo tornou-se um ícone de Moscou, com seu aroma de chocolate extendendo-se pelo centro da capital. A empresa foi nomeada fornecedora oficial da família imperial. Após a revolução, os comunistas expropriaram a fábrica e em 1922 foi-lhe dado o seu novo nome. No entanto, a empresa continuou o seu desenvolvimento e ainda sobreviveu à demolição da catedral vizinha. Tornou-se um importante fornecedor do Exército Vermelho durante a Segunda Guerra Mundial; seus chocolates faziam parte das refeições dos soldados em combate, pilotos e tripulantes de submarinos soviéticos. Outubro Vermelho sobreviveu aos tempos dos czares, o regime soviético e à Perestroika em sua melhor forma e continuou a crescer a um ritmo tal que, em 2007, sua produção teve que ser transferida para um novo local, longe do centro. A fábrica ficou vazia, condenada à demolição para dar lugar a novos apartamentos de luxo. No entanto, o promotor decidiu deixá-lo intacta e alugar seus espaços. Em 2008, Maria Baibakova substituiu as antigas linhas de produção de chocolate pela primeira galeria de arte moderna, que foi um grande sucesso. Logo, o bairro tornou-se um point para artistas, criadores, editores e designers. Em 2009 foi locado para receber a 3 ª Bienal de Arte Contemporânea de Moscou. Hoje, o bairro tem como vizinhos, entre outros, o Instituto Strelka de Design e o Centro de Fotografia Irmãos Lumiere. Também abriga numerosos estúdios, galerias de arte, terraços e clubes da moda. Caminharemos ao redor do bairro para ver as mudanças que ocorreram nos últimos anos e descobrir o seu novo visual.